Estávamos nós a descer a costa vicentina, há sensivelmente um ano, quando descobrimos este maravilhoso turismo rural. Ficámos completamente apaixonados pelo espaço a ponto de prometermos a nós mesmos voltar. Sempre nos ensinaram que as promessas são para se cumprir e este era o momento indicado para tal, mas agora para partilhar tudo com vocês.

À chegada a nostalgia foi inevitável e a recepção da Susana (dona da herdade) foi calorosa como sempre. Ainda se lembrava de nós do ano passado! A excitação de lá voltarmos era tanta que chegámos duas horas antes do combinado e a Susana ofereceu-nos uma limonada bem fresca junto à piscina enquanto o nosso quarto estava a ser preparado. Finalmente uma das simpáticas empregadas que lá trabalha vem ter connosco e diz-nos a única coisa que queríamos ouvir naquele momento “o vosso quarto já está pronto!”. Agarrámos em tudo e lá fomos nós.

Aquele quarto é tão especial que quando lá chegámos tivemos as mesmas reações de quando lá fomos a primeira vez: “Isto é brutal”, “Nem parece que estamos em Portugal”, “Olha-me esta vista”, “Mete a banheira já a encher!”, sentimo-nos duas crianças acabadas de chegar à Disneyland.

Estava imenso calor e por isso fomos dar um mergulho à piscina que tem uma vista inacreditável para o Alentejo, ali não se dá pelas horas passarem e só o pôr do sol nos fez regressar ao quarto.

Era hora de jantar e já sabíamos desde há muito onde ir, na verdade “O Passarinho” era outra promessa a cumprir! Apesar de não ser um restaurante que invista na sua imagem é um restaurante onde se come MUITO e MUITO bem! A Dona Lucilia é um verdadeiro “faz tudo” no seu restaurante, é ela que com o seu avental e chapéu de cozinheira nos serve à mesa, cozinha e trata das contas. As doses que são servidas deixam-nos sem espaço para as sobremesas e a conta que se paga no final roça o ridículo (no bom sentido).

De volta à herdade do Reguenguinho decidimos pôr o despertador para as 6 da manhã para ficarmos deitados na cama a ver o nascer do sol com aquela vista panorâmica para o Alentejo, é indiscritivel!

O pequeno-almoço é servido na “casa mãe” e aquele pão Alentejano ainda quentinho vai deixar-nos saudades, mas uma coisa nós prometemos, vamos voltar!